Usuário
Senha


            
Esqueci minha senha
Associe-se / Cadastro
        Busca de Associados
14:03 h
23/4/2014



Home » FAQ - Perguntas e Respostas Freqüentes - Médicos Não Nucleares

FAQ - Perguntas e Respostas Freqüentes - Médicos Não Nucleares

Cintilografia com gálio-67 na avaliação de massa hepática. Quais as indicações e qual o padrão esperado nestas patologias?
30/09/2007

A cintilografia hepática com enxofre coloidal marcado com tecnécio-99m tem boa sensibilidade na detecção de aproximadamente 90% das lesões que ocupam espaço como hepatomas, porém tem baixa especificidade (51%). A associação com o estudo de gálio-67 aumenta a sensibilidade e especificidade, na avaliação dos hepatomas. Uma cintilografia com gálio-67 (+) em uma região fotopênica no estudo com enxofre coloidal marcado com tecnécio-99m exclui os nódulos de regeneração da cirrose, infiltração gordurosa focal, cistos e alguns tumores metastáticos, mas condições como linfomas, abscessos e metástases de tumor de pulmão ou melanoma não são distinguíveis do hepatoma. O gálio-67 tem maior aplicabilidade quando a probabilidade pré-teste de hepatoma é intermediária ou alta, como nos pacientes com cirrose e sintomas progressivos, aumento de alfa-fetoproteinas e lesões identificadas à tomografia, USG ou cintilografia hepática com colóides. Apesar de apresentar uma concentração hepática fisiológica, o gálio-67 tem captações variáveis no fígado em patologias diversas. Com relação aos hepatomas, 63% concentram mais gálio-67 que o tecido normal, 25% tem concentração igual e 12 % tem menor concentração que o tecido normal. As maiores limitações devem-se a uma probabilidade de 9% de falsos (+) e a inabilidade de detectar lesões pequenas (<1cm), quando a ressecção cirúrgica teria maior eficácia.

As metástases hepáticas geralmente apresentam-se como lesões multifocais, porém entram no diagnóstico diferencial dos hepatomas, hemangiomas e cistos. Outros estudos cintilográficos do fígado, como os realizados com hemácias marcadas, para avaliação dos hemangiomas, além da PET com FDG-18 F são recursos disponíveis na elucidação diagnóstica de casos específicos. A PET tem boa sensibilidade na avaliação de metástases hepáticas (aproximadamente 90%), porém, os hepatomas primários, apesar de hipermetabólicos, demonstram acúmulo de FDG-18 F em apenas 60 a 70% dos casos, mais relacionados a elevados níveis de defosforilases. A detecção de colangiocarcinomas é elevada, mas falso (+) podem ser vistos em pacientes com abscessos.

Além do hepatoma, abscessos e algumas metástases, o gálio-67 tem papel importante na avaliação de pacientes com sarcomas de partes moles metastático e pacientes portadores de HIV(+) com linfadenopatias.

A avaliação mais precisa das massas hepáticas, no geral, requer uma combinação de técnicas de imagem que são complementares e necessárias na resposta aos questionamentos clínicos de cada caso estudado.
Dra. Márcia Garrido Modesto Tavares, médica nuclear

Instituto Brasileiro de Controle do Câncer (IBCC) - São Paulo-SP

 Voltar




 

 

Home | Links | Contato | Mapa do Site
Desenvolvimento CYNERGIA